Como uma fraude de cartão de crédito prejudica o seu negócio?

Um grande erro das lojas virtuais é não dar a devida importância à proteção antifraude. Afinal de contas, os prejuízos causados por uma fraude de cartão de crédito podem quebrar negócios, sabia?

Os golpes no e-commerce vêm crescendo cada vez mais no Brasil e no mundo. E, se você não tiver cuidado, criminosos podem tirar proveito de algumas vulnerabilidades do seu site para a realização de algumas (ou muitas) compras fraudulentas, comprometendo uma parcela considerável do seu faturamento e causando danos à sua marca.

Ha muitos profissionais do e-commerce que, muitas vezes por medo de um problema que não conhecem direito, acabam fazendo vista grossa para a análise de risco de uma loja virtual. No entanto, acreditamos que conhecer a real gravidade do problema pode ser crucial para lidar com um assunto – que nem é tão complicado assim.

Neste artigo, vamos te ajudar a lidar com este tema e garantir uma operação mais segura ao seu e-commerce. Confira!

As fraudes de cartão de crédito no e-commerce

Antes de tudo, mais que combater, é essencial compreender quem é o inimigo, não é mesmo? Conheça as principais fraudes que acontecem no e-commerce:

Fraude amiga

Vamos começar pelo tipo menos doloso, que nem sequer é uma fraude. A “fraude amiga”, por assim dizer, acontece em situações em que o titular do cartão se esquece de ter feito alguma transação, ou quando outra pessoa próxima a ele realiza um pedido sem comunicá-lo. O portador, então, acredita ter sofrido um  golpe e solicita o estorno daquela compra. O prejuízo, você sabe, recai sobre o lojista.

Existe também uma situação comum que é quando o nome fantasia da loja é diferente daquele descrito na fatura do cartão, fato que acaba confundindo o comprador.

Mas boa notícia: ambas as situações podem ser facilmente contornadas por um bom atendimento.

Autofraude

Acontece quando o próprio cliente efetuou a compra e, agindo de má-fé, pede o estorno, com a intenção de ficar com o produto e não pagar por ele.

Este caso não é tão comum e é de difícil prevenção. O melhor a fazer é assegurar-se de que o seu e-commerce reúne comprovantes e logs de transações, e-mails, chats e comunicações suficientes para se defender judicialmente caso sofra uma autofraude.

Fraude efetiva

É a fraude “clássica”, a mais comum do e-commerce brasileiro – corresponde a 3,03% de todas as transações feitas pela internet. Estelionatários utilizam cartões de crédito clonados e dados pessoais de terceiros – muitas vezes, consumidores legítimos que tiveram informações pessoais e números de documentos vazados.

O portador do cartão, ao receber a fatura, não identifica a compra e solicita o chargeback. Enquanto isso, o e-commerce já despachou o produto, o fraudador já o recebeu e provavelmente já o passou adiante.

As fraudes e as multas para o e-commerce

Quem atua com e-commerce sabe que, infelizmente, as fraudes são ainda um transtorno corriqueiro. Porém, quando esse percentual fica acima de 1% (sobre o faturamento), o problema piora – e muito: as operadoras de cartão podem puni-lo com advertências, multas e, em casos extremos, até o descredenciamento!

Como trabalhamos com um cenário onde ocorre 1 tentativa de fraude a cada 5 segundos, estar preparado para barrar uma fraude de cartão de crédito é fundamental para a saúde da sua loja.

O medo da fraude de cartão de crédito

Por mais estranho que pareça, não existe um e-commerce com zero fraude – quem fala com muita propriedade que não sofre chargebacks muito provavelmente está com taxas de aprovações mais baixas que o normal (e, consequentemente, faturando menos).

A fraude faz parte do jogo. O objetivo do gerente de loja virtual deve ser maximizar o faturamento . E, para isso, é necessário aprovar o máximo de pedidos possíveis, diante do menor risco.

Segundo o relatório Raio-X da Fraude, divulgado em 2017, a tentativa de fraudes no e-commerce brasileiro é de 3,03% – ou seja, 1 a cada 33 pedidos. Então, se sua loja virtual tem uma taxa de cancelamento muito maior do que essa, você está deixando de ganhar dinheiro por excesso de zelo.

Os fraudadores fazem dos golpes sua profissão e estão cada vez mais especializados em encontrar pontos vulneráveis na segurança dos sites. Logo, os varejistas devem estar preparados para se prevenir dessas ações criminosas antes que os ataques ocorram.

Lembrando que tudo isso acontece muito rápido, num piscar de olhos. E pior: caso o seu e-commerce seja um alvo fácil para fraudadores, essa informação se espalhará rapidamente, atraindo mais golpistas para sua loja.

Um exemplo clássico do comércio pode ajudar: se uma loja física tem um problema de segurança, como uma janela sem tranca, será mais convidativa aos ladrões, por conta da facilidade de invasão. E o mesmo acontece no meio virtual – afinal, sem segurança, sua loja on-line estará vulnerável a roubos.

É nessa hora que entram os sistemas antifraude, que podem antecipar e impedir imprevistos. Estas ferramentas contam com tecnologias super modernas, capazes de analisar o risco de transações on-line em menos de um segundo e barrando pedidos potencialmente suspeitos, que eventualmente se transformariam em chargeback para um lojista.

Benefícios de uma análise de risco eficiente

Já falamos algumas vezes que a função de um antifraude não é unicamente barrar fraudes, não é? Pois bem… com uma análise de risco eficiente, além de evitar prejuízos com transações suspeitas, uma loja virtual ainda pode ter alguns benefícios incrementais, como por exemplo:

Aumento da conversão

Alguns lojistas acabam cancelando mais pedidos do que deveriam em função do “medo da fraude”. Muitas destas transações barradas podem ser de clientes legítimos, e um antifraude eficiente não hesitará ao aprová-las. Com isso, você receberá mais pedidos e, consequentemente, aumentará o seu faturamento. Interessante, né?

Imagem da marca

Quantas vezes você acha que um cliente (legítimo) tentará comprar novamente na sua loja virtual após ter um pedido recusado? Provavelmente nenhuma, não é mesmo? E pior: ele provavelmente se tornará um detrator da sua marca, compartilhando com amigos e familiares que “é impossível comprar naquele e-commerce”.

Se você tem um cliente legítimo que está sendo impedido de concluir uma compra por suspeita exagerada, este é o cenário que (infelizmente) vai acontecer…

A escolha de um sistema para evitar fraudes

Uma fraude de cartão de crédito pode prejudicar seu negócio em muitos níveis. Como vimos, garantir que elas não ocorram é uma missão quase impossível, que pode inclusive comprometer a sua lucratividade.

A prevenção é a solução adequada para manter a atividade da sua loja virtual no azul.

Gostou deste artigo? Confira também nosso post Saiba o que avaliar ao escolher um serviço antifraude

Share This