AnúnciosBlog da KondutoNotícias da fraudeProteja sua loja

Retrospectiva 2019, parte 2: Konduto evita mais de R$ 5 bilhões em fraudes

Por 6 de janeiro de 2020 março 27th, 2020 Nenhum comentário

Não sei se você se lembra, mas encerramos 2019 publicando aqui no blog uma retrospectiva de fatos legais que rolaram na Konduto no ano passado: dobramos a equipe de funcionários, mudamos de escritório, realizamos o primeiro Fraud Day, etc.

Tudo isso nos ajudou a continuar fazendo aquilo que a gente se propõe desde a fundação da empresa em 2014: combater a fraude on-line de forma eficiente. E esta segunda e última parte da retrospectiva 2019 vai mostrar em números como conseguimos cumprir esta missão durante mais um ano!

Analisamos 5 pedidos por segundo!

Vários estudos apontam que o setor de comércio eletrônico e pagamentos virtuais cresce ano após ano na América Latina mesmo com alguns países da região vivendo crises econômicas. Na Konduto, mais uma vez, pudemos mensurar isso.

Isso porque o número de pedidos que analisamos voltou a crescer em relação ao ano anterior: de cerca de 128 milhões em 2018 para mais de 175 milhões em 2019, um aumento de aproximadamente 37%.

Para você ter ideia do volume destes 175 milhões, isso significa que em média cerca de 5 pedidos passaram pelos nossos sistemas por segundo no ano passado. Sim, 5 pedidos por segundo!

A Konduto fechou 2019 com cerca de 4 mil lojas ativas de cinco países: Brasil, Chile, Peru, México e Argentina.

Evitamos R$ 5,4 bilhões em fraudes!

E o que dizer de R$ 5,4 bilhões. É grana, né? Mais ou menos 16 vezes o valor que a Caixa pagou na Mega da Virada. Pois esta é a quantia estimada que a Konduto evitou em prejuízos de fraudes e chargebacks ao longo de 2019 para os nossos clientes.

O volume financeiro que processamos, por sinal, ultrapassou a barreira dos R$ 128 bilhões. Este número é quase quatro vezes superior ao de 2018, que foi de cerca de R$ 32 bilhões, sendo R$ 3 bilhões em tentativas de compras fraudulentas – valor proporcionalmente maior que no ano passado.

Estes números também apontam para um estágio de maturidade do e-commerce e pagamentos digitais do Brasil e de outros países latino-americanos. Há mais pessoas comprando on-line (inclusive produtos e serviços de alto ticket médio), ao passo que a indústria cada vez mais se atenta a formas de se proteger.

O cenário, no entanto, não significa necessariamente que as tentativas de fraude estão caindo, uma vez que elas podem se “diluir” em meio ao maior número de pedidos legítimos e de mais segurança às lojas virtuais. Falando nisso, em breve lançaremos a nova edição do Raio-X da Fraude, o mais completo estudo sobre a fraude on-line do mercado brasileiro.

E tudo isso sem cair!

Com 175 milhões de pedidos analisados e R$ 128 bilhões em volume financeiro processado, nem precisamos dizer que o sistema da Konduto foi colocado à prova em 2019. E mais uma vez passou no teste.

Pelo terceiro ano seguido, o nosso uptime foi superior a 99,99%. Para ser mais exato, ficamos apenas dois minutos fora do ar ao longo de todo o ano passado. Ou, para ser mais exato ainda, dos 525.600 minutos de 2019, estivemos on-line em 525.598! Vale ressaltar que nem mesmo na Black Friday, quando tivemos picos de 15 pedidos por segundo, houve instabilidade.

Todo o balanço da nossa operação em 2019 que mencionamos ao longo deste texto está listado abaixo. Agora é seguir em frente. O ano de 2020 começou faz tempo para a Konduto, e queremos que ele seja ainda melhor tanto para nós como para todos que nos acompanham!

Os números da Konduto em 2019

Total de pedidos analisados: 175.168.470
Valor financeiro processado: R$ 128.314.992.873,71
Valor evitado em fraudes: R$ 5.414.892.699,27
Lojas ativas: 4 mil
Uptime: só 2 minutos fora do ar

Você já assina a newsletter da Konduto?

Eduardo Carneiro

Autor Eduardo Carneiro

Eduardo é jornalista formado pela Cásper Líbero e trabalhou em sites como Gazeta Esportiva, Terra e UOL ao longo da carreira. Na Konduto desde junho de 2019, escreve sobre as novidades do mundo da fraude e arrisca imitações de celebridades.

Mais posts de Eduardo Carneiro