4 dicas essenciais para a gestão financeira de um e-commerce

Vender on-line já não é mais uma opção, mas quase uma necessidade básica para a maioria dos negócios que buscam sucesso nos dias de hoje. Marcas já estabelecidas no meio físico já possuem canais de venda virtual, enquanto diversos empreendimentos já nasceram na internet e sequer cogitam abrir uma loja física. Para garantir o sucesso da estratégia, no entanto, é fundamental fazer uma boa gestão financeira de e-commerce.

De acordo com o IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, mais da metade das empresas no Brasil fecham as portas depois de cinco anos de funcionamento – a falta de gestão financeira é uma das principais causas para este dado.  Por isso, gerir finanças é uma tarefa que deve ser inserida na rotina do dia a dia.

Neste artigo, apresentaremos dicas importantes para você colocar em prática e garantir que, além de um bom volume de vendas, seu e-commerce também tenha uma gestão financeira sólida. Assim, você lucra mais, gasta menos e pode crescer exponencialmente. Interessante, né? Então continue a leitura!

1. Estabeleça e acompanhe indicadores financeiros

A primeira coisa a ser feita é saber com exatidão, e detalhadamente, quanto de dinheiro entra e sai do seu negócio a partir de uma análise a fundo.

Qual é o valor ticket médio dos seus clientes? Depois de quanto tempo eles precisam comprar de novo com você? A taxa de conversão no site está satisfatória? O tráfego aponta para quais são os produtos ou serviços que estão na  preferência do público? Esses são alguns dos principais indicadores.

2. Faça a conciliação financeira

Quando se fala de fluxo de caixa, geralmente os gestores se esquecem de um processo indispensável: a conciliação financeira. Ela nada mais é do que confrontar saldos, extratos, entradas e saídas de uma conta no banco com receita, despesas e movimentações de uma empresa.

Às vezes, na conciliação financeira, você percebe que está recebendo muito menos dinheiro do que havia vendido. Iisso pode acontecer por diversos motivos – como, por exemplo, a fraude on-line. Você já pensou nisso?

Ao final do processo, é possível, além de corrigir falhas, ter uma previsão do seu fluxo de caixa, planejar o orçamento e ter um maior controle sobre as movimentações financeiras do seu e-commerce. Assim, você corta gastos, investe na coisa certa e garante a vida útil do seu negócio.

3. Escolha um intermediador de pagamentos adequado

O que é melhor para o seu negócio? Gateway? Subadquirente? Nenhum dos dois? Sabe do que estamos falando? Calma! Vamos explicar.

Intermediadores são ferramentas que recebem os pagamentos de compradores, seja via cartões de crédito e débito ou por boletos bancários, e fazem a comunicação financeira e de informação com adquirentes, bandeiras e bancos.

A maioria dos e-commerces utiliza intermediadores, uma vez que é bastante trabalhoso realizar integrações com cada uma das principais adquirentes do mercado. Mas elas possuem algumas características que devem ser levadas em consideração. Neste artigo nós explicamos melhor cada uma delas.

4. Tenha uma boa solução de pagamentos e antifraudes

Você sabe dizer de prontidão como está a análise de risco da sua loja virtual? Você sabe quais são as suas taxa de chargeback, de aprovação de pedidos e até mesmo de falsos-positivos? Quanto dinheiro você não está deixando de ganhar por causa disso?

Um bom gestor de e-commerce deve saber que um antifraude não deve servir apenas para barrar compras suspeitas, mas garantir o máximo de aprovação de pedidos diante do menor risco possível de fraude. Conhecer e otimizar estes indicadores são atividades fundamentais para melhorar o aspecto financeiro de um negócio.

Ter uma loja virtual representa grandes possibilidades de sucesso comercial, mas não sem uma boa gestão financeira de e-commerce. Seguindo essas dicas, você conseguirá evitar gastos desnecessários e poderá investir no que realmente importa para o seu negócio e seus clientes.

Agora que já sabe mais sobre esse assunto, que tal seguir a Konduto nas redes sociais? Por Facebook, LinkedIn, Twitter e Google +, você vai ficar por dentro de como profissionalizar a sua empresa, evitar fraudes, automatizar processos e seguir tendências de e-commerce.

Share This