Vendas no e-commerce caem até 28% durante jogos do Brasil na Copa do Mundo

Não deu para a Seleção Brasileira na Copa do Mundo, mas um clima diferente tomou conta das vidas de muitos de nós nas últimas semanas, não é mesmo? Até quem jurava de pés juntos que não estava nem aí para os jogos foi flagrado vendo memes engraçadinhos sobre futebol, pedindo o hexa e até palpitando sobre o que o Tite poderia ter feito (ou não) durante as partidas.

Mas, se você trabalha com e-commerce, já deve ter reparado que algo mudou bastante. Analisando alguns dados aqui na Konduto, percebemos que as vendas on-line chegaram a cair 28% durante os jogos do Brasil no torneio. Isso é bastante relevante, se considerarmos que esta queda nos gráficos acontecia em momentos de alto volume de transações (especialmente entre 14 e 18h).

Para esta análise, levamos em consideração uma amostragem de quase 22 milhões de transações que passaram pelos nossos sistemas entre os meses de maio e julho, dos mais variados segmentos de e-commerce. E o resultado foi impressionante: o Brasil parou ver a Seleção – e também para viver o clima de Copa (e ver muitos memes).

Seleção primeiro, compras depois

Nos cinco jogos que a Seleção fez na Rússia, percebemos um declínio considerável no ritmo de vendas no e-commerce – especialmente nos jogos realizados à tarde. Nas partidas que tiveram início às 15h (de Brasília), já era possível ver um declínio de 10 a 15% nas vendas cerca de duas horas antes do pontapé inicial, em comparação a dias “comuns” (sem Copa).

Também pudera, não é mesmo? Nestes horário, os torcedores saíam do trabalho, voltavam para casa ou iam para o bar, assistiam ao Galvão Bueno chamar a festa no Recife com os bonecos de Olinda e, claro, o batuque do Olodum no Pelourinho em Salvador.

Enquanto a bola rolava, os gráficos de transações on-line no Brasil atingiam os menores patamares. O momento de maior “soluço” dos gráficos aconteceu justamente no jogo que marcou a eliminação da Seleção: no segundo tempo do duelo com a Bélgica, pelas quartas de final, as vendas ficaram 28,1% abaixo da média esperada para aquele horário do dia.

O segundo jogo com mais variação no ritmo de compras on-line foram na primeira fase: no empate por 1 a 1 na estreia contra a Suíça (queda de até 25,9% para uma tarde de domingo) e na vitória por 2 a 0 sobre a Costa Rica (25,5% menos transações). Nos outros dois jogos da Seleção, a variação foi um pouco menor: 21,6% diante da Sérvia e 18,6% durante o embate de oitavas de final com o México.

Jogos de outros países não interferiram (tanto)

A Copa do Mundo é o suprassumo do futebol, um dos maiores acontecimentos esportivos no planeta. O evento é capaz de reunir e promover ao longo de quatro semanas o encontro de povos, nações, culturas… tudo em um ritmo de muita alegria e emoção, sob a batuta dos maiores craques da atualidade. Qualidade e nível técnico não faltou – salvo algumas exceções.

De qualquer forma, até quem não era tão fã assim de futebol já se tornou super íntimo de vários acontecimentos inesquecíveis desta Copa: o polêmico árbitro de vídeo (VAR), o vexame da Alemanha, a empatia pelo primeiro gol do Panamá na história das Copas, a eliminação da Argentina, a pataquada do atacante belga Michy Batshuayi ao comemorar um gol… não é?

A boa notícia para o e-commerce é que as partidas que não envolviam a Seleção Brasileira não tiveram tanta interferência sobre as vendas no e-commerce nacional. Não notamos nenhum impacto significativo ao longo dos jogos. O único ponto significativo foi ao longo do segundo tempo da partida entre Coreia do Sul e Alemanha, que representou a eliminação precoce da equipe campeã do mundo em 2014 – cerca de 8% abaixo do esperado para um dia sem Copa. Ainda assim, tratava-se de um dia totalmente atípico, pois algumas horas depois o Brasil entraria em campo para o jogo contra a Sérvia.

Impacto menor do que a greve dos caminhoneiros

Nós sabemos, não é nada agradável ver a sua loja virtual ter uma queda de um 1/4 nas vendas durante duas horas, e podemos imaginar o impacto que isso pode ter para o seu faturamento e para a sua meta. No entanto, o reflexo dos jogos do Brasil na Copa foram muito pequenos se comparado com outro evento que marcou o nosso País há pouco mais de um mês.

Entre o final de maio e o início de junho, durante a greve dos caminhoneiros, o e-commerce nacional experienciou um decréscimo de até 36% das vendas. E não durante duas horas, mas sim ao longo de um dia inteiro.

Guerra entre E-commerce x Copa do Mundo?

Não! Por favor, não vamos odiar a Copa do Mundo!

Sim, nós entendemos que pode ser muito chato ver este impacto (aparentemente) negativo que a Copa do Mundo tem sobre o comércio de modo geral – e o e-commerce não fica fora disso. Mas isso não é motivo para detestarmos o torneio. Pelo contrário!

É em momentos como este em que a criatividade deve sobressair – e negócios que têm grandes sacadas durante o Mundial podem levar a melhor sobre a concorrência. Campanhas atreladas a alguns acontecimentos da Copa, comunicações temáticas, promoções de acordo com o desempenho da Seleção… você já pensou nisso?

Sem falar em outra coisa: o brasileiro gosta tanto de Copa do Mundo que, certamente, o consumidor receberá super bem campanhas relacionadas ao Mundial. Só não deixe para fazer promoções EXATAMENTE enquanto a bola estiver rolando.

Felipe Held

Head de Comunicação e Marketing da Konduto desde 2015, Felipe é formado em Jornalismo, pós-graduado em Marketing e trabalhou em Gazeta Esportiva, UOL e Terra antes de entrar para o time do melhor antifraude do e-commerce

Share This