AnúnciosBlog da KondutoNotícias da fraude

Black Friday 2019: Konduto evita mais de R$ 31 milhões em fraudes on-line

Por 3 de dezembro de 2019 Nenhum comentário

Ano após ano, a Black Friday bate recordes de pedidos e de faturamento no comércio eletrônico brasileiro e se consolida como a principal data do calendário do setor. Em 2019 não foi diferente – e a Konduto orgulhosamente fez parte desta história mais uma vez.

Sim, foram dias de trabalho árduo por aqui, após meses de preparação. Tudo para que os cerca de 4 mil lojistas que contam com a nossa proteção antifraude aprovassem o máximo de pedidos diante do menor risco possível nos principais dias da promoção.

Deu tudo certo? Os números abaixo vão te mostrar que sim!

15 pedidos analisados por segundo!

Entre quinta-feira, dia 28 de novembro, e domingo, dia 1º de dezembro, mais de 3,1 milhões de pedidos passaram pelo nosso sistema (mais precisamente 3.107.163 compras). Só na sexta-feira, principal dia de compras, a Konduto analisou uma média de 15 pedidos por segundo analisados. Sim, por segundo.

O ticket médio dos pedidos analisados pela Konduto ficou em R$ 445,55, quase a mesma quantia da Black 2018 (R$ 446,70). Já o volume financeiro que analisamos neste ano ultrapassou a cifra de R$ 1,3 bilhão (R$ 1.385.323.062,04, para você que gosta de números).

Tentativas de fraude caem

Na Konduto, sempre buscamos derrubar o mito de que as fraudes aumentam na Black Friday. O que aumenta em uma data sazonal como esta é o número de pedidos legítimos no e-commerce, uma vez que muitos consumidores se animam com as campanhas promocionais dos varejistas. Por outro lado, os criminosos cibernéticos não intensificam seus golpes, o que acaba “diluindo” a quantidade de pedidos fraudulentos. Veja no gráfico abaixo:

E então? Deu para perceber na imagem que a edição de 2019 comprovou esta tese? Tanto que a taxa de tentativas de fraude sobre o total de pedidos ficou em 1,14% neste ano, uma queda de 20,3% em relação ao ano passado (1,43%), além de ser um valor bem inferior à taxa média anual no Brasil, que ficou em 2,2% em 2018.

Boa notícia? Estas comparações até podem dizer que sim. No entanto, é importante ressaltar outro ponto: se levarmos em consideração não a quantidade de pedidos fraudulentos, mas olharmos para os valores dessas compras de origem criminosa, os números mudam consideravelmente.

Do R$ 1,3 bilhão que analisamos na Konduto ao longo dos quatro principais dias de Black, R$ 31.067.521,57 eram de origem fraudulenta e conseguimos evitar graças à nossa tecnologia e ao nosso time de especialistas de risco. Isso também significa que, a cada R$ 1.000 em pedidos, R$ 22,40 estavam relacionados a compras feitas por estelionatários.

Ou seja: 2,24% de tentativa de fraude sobre o volume financeiro de compras. Isso ultrapassa e muito o limite considerado saudável para um comércio eletrônico. As principais bandeiras de cartão de crédito, por exemplo, multam e podem até descredenciar empresas que tenham índices superiores a 0,9% (Visa) e 1% (Master).

Além disso, outro dado relevante é que o ticket médio dos pedidos fraudulentos foi de R$ 879,35, quase o dobro do ticket geral.

Mas, de qualquer forma, queremos reforçar: a Konduto ajudou o e-commerce brasileiro a evitar mais de R$ 31 milhões de prejuízo em decorrência da fraude on-line! É muita grana, não é?

Os segmentos com mais fraudes

Se você acha que os fraudadores mais uma vez priorizaram a compra de eletroeletrônicos durante a Black, você… acertou. O segmento ficou disparado na liderança dos mais visados durante o evento, com 4,8% de tentativas de fraude. 

Como já dissemos outras vezes por aqui, os criminosos tradicionalmente focam em produtos como smartphones, laptops, tablets e afins por causa do alto valor agregado e alto poder de revenda que possuem. Não foi diferente neste ano, e isso colaborou para que o ticket médio dos pedidos ilegítimos fosse tão alto.

O segundo lugar neste ranking de segmentos ficou com turismo (1,6% de tentativas de fraude), seguido pelo setor de calçados (1,4%) e de saúde e cosméticos (1,27%).  Por outro lado, eletrodomésticos (0,59%) e acessórios (0,41%) tiveram índices bem abaixo da média. Esporte/Lazer, que chegou a 2,89% de tentativa de fraude no ano passado, teve queda drástica, para 0,3%.

O melhor antifraude para a Black

Como dissemos lá no primeiro parágrafo, a Black Friday está ganhando peso de Copa do Mundo para o e-commerce brasileiro. E nenhuma loja quer se preparar tanto tempo para na hora agá levar um 7 a 1.

O antifraude é peça fundamental neste jogo. Basta ver os números acima para imaginar o prejuízo que uma loja teria se ficasse sem proteção durante a data nem que fosse por um segundo.

Bem, nós da Konduto sabemos da nossa responsabilidade, tanto que pelo terceiro ano seguido registramos 100% de uptime durante a Black. O que isso quer dizer? Que não ficamos fora do ar um segundo sequer!

Estamos falando bastante em segundos neste artigo, né? Então que tal falarmos de milissegundos? Pois 100 milissegundos (0,1s) foi o tempo médio que nosso sistema de inteligência artificial precisou para revisar um pedido na Black. Mais rápido que um piscar de olhos – costumamos levar 400 milissegundos para fazer isso.

Ah, mas os pedidos que foram para a revisão manual demoraram? A resposta também é não. O tempo médio de revisão dos pedidos manuais somados aos automáticos ficou em apenas 14 minutos.

Estabilidade, velocidade, milhões em fraude evitados… A sensação da equipe Konduto é de dever cumprido após mais uma Black Friday. Esperamos ter você conosco em 2020!

Os números da Black Friday 2019

*entre 28/11 (quinta-feira) e 1/12 (domingo)

Total de pedidos analisados pela Konduto
3.107.163

Total de lojas analisadas
Aproximadamente 4 mil

Volume financeiro analisado
R$ 1.385.323.062,04

Fraudes evitadas (em R$)
R$ 31.067.521,57

Taxa de tentativa de fraude (sobre o total de pedidos)
1,14%

Taxa de tentativa de fraude (por dia, por número de pedidos)
28/11 (quinta): 1,53%
29/11 (sexta): 0,97%
30/11 (sábado): 1,19%
01/12 (domingo): 1,05%

Taxa de tentativa de fraude (sobre o volume financeiro)
2,24%

Taxa de tentativa de fraude (por segmento)
1. Eletrônicos: 4,8%
2. Turismo: 1,60%
3. Calçados: 1,40%
4. Saúde e cosméticos: 1,27%
5. Livros: 1,00%

Ticket médio de pedidos na Black
R$ 445,85

Ticket médio de pedidos fraudulentos na Black
R$ 879,35

Tempo médio de análise automática Konduto
100 milissegundos (0,1s)

Tempo médio de análise automática + manual
14 minutos

Uptime dos sistemas da Konduto na Black
100% (como sempre!)

Cyber Monday

Extensão da Black Friday e ainda tentando engatar no Brasil, a Cyber Monday deste dia 2 de dezembro foi um dia mais aquecido do que segundas-feiras “comuns” no e-commerce brasileiro, mas nem de perto alcançou o frenesi do dia da Black Friday. A Cyber Monday acabou sendo uma “última oportunidade” de o público consumidor aproveitar para gastar mais um pouquinho depois de tantas e tantas compras durante o fim de semana – e, por isso, optamos por separar os resultados neste artigo e apresentar os números e de Black e de Cyber Monday separadamente.

No total, foram 704.432 pedidos que passaram pelos sistemas da Konduto (quase a metade do que processamos durante a sexta-feira de Black), mas com um ticket médio bem mais baixo: R$ 321. Em relação às fraudes, nossa tecnologia evitou mais R$ 7.719.298,38 em compras ilegais.

E mais algumas curiosidades…

  • 23h de sexta-feira foi o horário com mais pedidos, seguido por: 11h, 22h e 12h do mesmo dia
  • 13h de sexta-feira foi o horário com mais pedidos suspeitos, seguido por: 17h, 23h e 22h do mesmo dia
  • Sexta à tarde foi o período com as compras fraudulentas de maior ticket médio
  • Sexta, entre 11 e 16h, foi o período com as compras legítimas de maior ticket médio
  • Considerando a Cyber Monday, a Konduto processou, entre quinta e segunda-feira, 3.814.107 pedidos
  • Ainda com a Cyber Monday, foram R$ 39.305.161,29 evitados em fraudes

Eduardo Carneiro

Autor Eduardo Carneiro

Eduardo é jornalista formado pela Cásper Líbero e trabalhou em sites como Gazeta Esportiva, Terra e UOL ao longo da carreira. Na Konduto desde junho de 2019, escreve sobre as novidades do mundo da fraude e arrisca imitações de celebridades.

Mais posts de Eduardo Carneiro